Sergipe Turismo

Trilhas em Sergipe

Destacamos aqui diversos lugares perfeitos para a prática de rapel e trilhas em Sergipe. A Serra de Itabaiana, a Serra da Miaba e a Região de Xingó são os destinos preferidos dos aventureiros.

Principais Trilhas em Sergipe

Quem visitar Itabaiana também não pode perder as 14 quedas d’água do Parque dos Falcões. O local permite a prática de atividades radicais como rapel, escaladas, moutain bike e caminhadas ecológicas. Ainda nas proximidades, encontra-se o rio das Pedras cujo acesso é feito principalmente por meio de trilhas com cinco quilômetros de extensão.

Trilhas em Sergipe

A cidade de Canindé do São Francisco, famosa pelos cânions de Xingó, também tem diversas opções de trilhas em Sergipe, sendo a Trilha do Angico e o Vale dos Mestres as principais.

A Fazenda Mundo Novo é outro ponto ideal para quem gosta de caminhadas com toques de história. Distante 36 km do município de Canindé de São Francisco, a fazenda tem seis mil hectares de caatinga, paredões rochosos e muita história do cangaço para contar. Durante a visita, o turista percorrerá trilhas com diversos níveis de dificuldade, e mais de sete quilômetros de extensão, até chegar à foz do rio São Francisco. Além disso, é possível praticar mountain bike, rapel e canoagem no local que possui mais de 200 sítios arqueológicos.

Rapel em Sergipe

A prática do rappel no Parque Nacional da Serra de Itabaiana, onde além de desfrutar de uma beleza ímpar, o local oferece lindas formações rochosas para quem deseja praticar desse esporte radical.

Um dos destinos mais procurados é o Cânion de Xingó. Os aventureiros se encontram também na Cachoeira de Nossa Senhora de Lurdes e no Poço da Ribeira, em Itabaiana. Em Aracaju, o ponte de rapel é a ponte Aracaju-Barra.

Trilhas em Sergipe

Cuidados

O proprietário da empresa Sergipe Viagens (que também trabalha com turismo de aventura), Estêvan Santos, destaca que para qualquer uma destas práticas é preciso o acompanhamento de pessoas e profissionais experientes.

“A pessoa pode muito bem conhecer a trilha, mas na hora que alguém passa mal não sabe como se portar na situação. Então, o guia ou o instrutor de rappel devem saber não só das áreas em que atuam, mas como trabalhar com pessoas em ambientes extremos e saber dos procedimentos de primeiros socorros”, alerta.