Escolha uma Página

São Cristóvão Sergipe

São Cristóvão Sergipe fica localizada a mais ou menos 20km de Aracaju e seu principal acesso é pela rodovia estadual João Bebe Água, a cidade faz remeter o pensamento ao Brasil colonial.

São Cristóvão (São Cristóvão) é um município brasileiro do estado nordeste de Sergipe. Fundado na foz do rio Vaza-Barris em 1 de janeiro de 1590, o município é o quarto assentamento mais antigo do Brasil.

São Cristóvão é conhecida por sua praça histórica da cidade, Praça São Francisco e numerosos edifícios do período colonial. O local de 3 hectares (7,4 acres) foi designado como Patrimônio Mundial da UNESCO em 2010.

São Cristóvão cobre 437 quilômetros quadrados (169 sq mi), tornando-o o terceiro maior assentamento no estado de Sergipe, atrás de Aracaju e Nossa Senhora do Socorro.

Sua população é de 85.814 (est. 2014) e uma densidade populacional de 196,43 por km2 (508,8 / m²). São Cristóvão é sede da Universidade Federal de Sergipe, fundada em 1968.

No total, são mais de 15 prédios tombados pelo Patrimônio Histórico e Cultural somente na parte alta da cidade e é Patrimônio Histórico e Artístico Nacional do Brasil desde 23 de janeiro de 1967.

Nesse Belíssimo post sobre São Cristóvão escrito pelo Silvio Oliveira, podemos notar a importância dessa belíssima cidade para o turismo sergipano.

São Cristóvão Sergipe – Um pouco de História

São Cristóvão foi estabelecida pelos portugueses (em uma época em que Portugal, Espanha e reinos de Nápoles estavam sob o domínio de Felipe II da Espanha) como uma das primeiras tentativas de colonização em Sergipe, o que torna a cidade a quarta mais antiga do Brasil.

Em 1590, os portugueses enviaram Cristóvão de Barros para subjugar a região ao domínio colonial e estabelecer um porto comercial seguro entre Salvador e Pernambuco.

De Barros derrotou rápida e violentamente a população local, que consistia em pessoas de origem mista Tupinambá e francesa que mantinham comércio de pau-brasil.

Como símbolo de sua vitória, De Barros fundou uma pequena vila chamada Santo Cristóvão.

O desenvolvimento da cidade seguiu o modelo urbano português, ou seja, em dois planos: a cidade alta, onde estão as sedes das potências civil e religiosa; e cidade baixa, com o porto, as fábricas e a população de baixa renda.

A economia de São Cristóvão dependia inicialmente do estabelecimento de rebanhos de gado para carne, leite e couro. O assentamento foi completamente destruído pelos holandeses em 1637.

As plantações de tabaco e cana-de-açúcar foram estabelecidas no século XVII e permaneceram no período moderno.

São Cristóvão foi a capital do estado até 1855, quando o presidente da província, Inácio Joaquim Barbosa, mudou a capital para Aracaju.

Em 1967, a cidade foi designada monumento nacional para preservar sua arquitetura colonial e hoje é o lar de dez patrimônios nacionais do Brasil.

Entre os importantes edifícios sagrados estão a Igreja e o Convento de Santa Cruz (também conhecida como Igreja e Convento de São Francisco, que data de 1693), o Hospital e a Igreja da Misericórdia (Santa Casa de Misericordia, o hospital das Irmãs da Misericórdia do século XVII). ), a Capela da Imaculada Conceição de Maria (1751), a Igreja Paroquial de Nossa Senhora da Vitória (1608) e várias outras igrejas importantes do século XVIII, incluindo a Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Negros, a Igreja de Nossa Senhora da Proteção e o Mosteiro de São Bento.

Dez patrimônios nacionais ou estaduais estão localizados no centro da cidade ou nas proximidades; dois, a Capela de Nossa Senhora da Conceição do Engenho Poxim e a Igreja de Nossa Senhora da Nazaré do Engenho Itaperoá, estão abandonadas e em plantações de cana-de-açúcar longe do centro da cidade.

Os locais religiosos de São Cristóvão continuam sendo um importante centro de peregrinação católica romana no Brasil. O Museu de Arte Sacra da Igreja e Convento de São Francisco é considerado o terceiro mais importante do Brasil.

Praça de São Francisco em São Cristóvão Sergipe

A Praça São Francisco é um conjunto monumental mais importante historicamente com prédios públicos e privados que representam o período de união das coroas de Portugal e Espanha (1580-1640).

A Praça São Francisco é um espaço aberto cercado por edifícios do período colonial, como a Igreja e o Convento de São Francisco, a Igreja e a Santa Casa da Misericórdia, o Palácio Provincial e outros edifícios de períodos posteriores.

O complexo é um exemplo bem preservado da arquitetura franciscana típica do nordeste do Brasil. Em 1º de agosto de 2010, o local, que abrange 3 hectares (7,4 acres), foi selecionado pela UNESCO como Patrimônio Mundial.

É administrado por um escritório regional do Instituto Nacional do Patrimônio Histórico e Artístico (IPHAN) e pelo governo municipal.

Ela une os padrões de ocupação seguidos por Portugal e as normas estabelecidas pela Espanha.

São Cristóvão

Basta chegar para observar um conjunto arquitetônico harmonioso. Do lado direito, a antiga Santa Casa de Misericórdia, hoje o Lar Imaculada Conceição.

Do lado esquerdo, um enfileirado de casarios. Ao fundo, é de encher os olhos a vista da Igreja e do Convento de São Francisco ou de Santa Cruz, onde funciona o Museu de Arte Sacra.

Do outro lado, o Museu Histórico de Sergipe com diversos casarões ao redor, um deles a antiga Ouvidoria. No meio da praça, um cruzeiro remota aos tempos do século XVI.

Não deixe de percorrer a praça, de entrar no Museu Histórico de Sergipe para conferir os quadros, fotografias, mobiliário do Brasil colônia; as salas que conservam a história do Cangaço, e a arquitetura do prédio.

Logo após, visite o Lar da Imaculada Conceição, antiga Casa de Misericórdia.

O prédio passou por reformas e há previsão de que abrigue uma pousada, porém, atenha-se aos detalhes de como foi o casarão em tempo de outrora.

Observe os detalhes e adornos das portas, o pouco mobiliário que ainda resta, a capela, os jardins e o melhor, aprecie os famosos bricelets, biscoitinhos feitos de forma artesanal pelas freiras carmelitas.

Praça São Francisco e Convento em São Cristóvão

Conheça a Igreja e o Convento de São Francisco. Em estilo barroco, a construção do conjunto iniciou-se em 1693 através de doações da população local aos padres franciscanos.

Quando São Cristóvão era a capital da Província funcionou, no convento, a Assembleia Provincial.

O grande salão da Ordem Terceira era ocupado pela Tesouraria Geral da Província. Conta-se que serviu, também, para aquartelar as tropas do batalhão que combateu os seguidores de Antônio Conselheiro, em Canudos, em 1897.

São Cristóvão

Hoje o Museu de Arte Sacra, que também fica no complexo histórico, abriga um acervo considerado o terceiro mais importante do país. A maioria das peças pertenceu às famílias nobres da região e foram doadas ao museu. E haja história para ver e curtir.

Praça da Matriz em São Cristóvão

O segundo complexo histórico é o da Igreja Matriz. Para chegar até ela partindo da Praça São Francisco passa-se pela Rua dos Poetas, pela praça da Igreja Matriz de Nossa Senhora das Vitórias (Praça da Matriz).

Há um sobrado denominado Balcão Corrido, o antigo fórum de justiça, a prefeitura e várias casarios, um deles chamado de Casa da Queijada, que vende queijadinhas, outro sabor encontrado em São Cristóvão.

Vista da igreja São francisco

A iguaria é feita de coco, leite, farinha de trigo e açúcar, nada de queijo, mas é bom se apressar, pois o conjunto arquitetônico do Convento da Ordem Terceira do Carmo lhe espera.

É seguir pela esquerda da praça e chegar até o terceiro complexo. O conjunto compreende a Igreja do Carmo e a Igreja da Ordem Terceira (Senhor dos Passos), o Convento do Carmo e a sala Irma Dulce, onde a carmelita começou seus dias de reclusão. Pode-se observar pertences, bonecas, fotos e um memorial.

Na Igreja da Ordem Terceira ou do Senhor dos Passos, o Salão dos Ex-votos chama atenção. Como penitência e agradecimento por uma graça alcançada, fiéis depositam no salão réplicas de partes do corpo esculpidas em madeira, fitas, cruzes, livros, fotos, tudo, tudo que se imaginar.

Observe o altar-mor das igrejas e as peças sacras restauradas recentemente. O forro da capela-mor da Ordem Terceira foi restaurando e nesse processo se descobriu que embaixo da pintura havia um verdadeiro mosaico barroco. Possui ainda um pequeno claustro interno que deve ser visitado.

Também veja o jogo de sombra e luz refletidos nas portas e colunas entre as igrejas e o convento. Na sacristia da Ordem Terceira há afrescos em todo o teto e também chama atenção pela imponência da pia em pedra calcária utilizada para lavar as mãos das Irmãs Concepcionistas.

Outros Monumentos em São Cristóvão

Se observado, o passeio começou na Praça São Francisco e percorre mais duas praças, ou seja, os principais prédios históricos estão concentrados em três praças principais, o que facilita a visita a cidade de São Cristóvão.

Partindo da Praça do Carmo ou Senhor dos Passos em direção ao acesso à Aracaju pela rodovia João Bebe Água, conheça ainda a Igreja do Amparo (antes exclusiva para homens) e a do Rosário dos Pretos.

Sala dos Penitentes Convento do Carmo

Observe os detalhes bem mais simples do que as outras igrejas. Esta última era permitida apenas para negros. O altar não tem tanta imponência e só há uma torre bem menos longínqua.

São Cristóvão

Cidade Baixa em São Cristóvão Sergipe

Na cidade baixa há uma antiga estação de trem, uma bica onde os são-cristovenses se divertem no final de semana, mas necessitando de reforma urgente, ou seja, a visita é dispensável.

O atracadouro abriga um restaurante. O centro comercial e a feira livre também podem render boas fotos e é onde se pode encontrar mais um sabor são-cristovense, os famosos peixes na palha (moquequinhas).

Afinal, como em toda cidade histórica, a cidade baixa também tem seus encantos e há seus altos e baixos.

Estruturas históricas

São Cristóvão Sergipe

São Cristóvão Sergipe

Igrejas

Residências

  • Sobrado na Rua Castro Alves, 2
  • Sobrado na Rua da Matriz
  • Sobrado na Rua das Flores

Capelas rurais

Economia de São Cristóvão Sergipe

A cidade é um porto de embarque e suas principais indústrias são a moagem e destilação de açúcar.

Como chegar a São Cristóvão Sergipe

Partindo de Aracaju, pode-se chegar a São Cristóvão pela rodovia estadual João Bebe Água e pela BR 101.

A primeira, foi parcialmente duplicada e há muitas curvas, porém, chega-se mais rápido, cerca de 20km.

A segunda, é bem mais movimentada e mais longe, pouco mais de 30km. Os dois trajetos são fáceis e há boa sinalização.

Para maiores informações sobre a cidade de São Cristóvão, visitem o site oficial da prefeitura de São Cristóvão/SE ou liguem para (79) 3261-1222.

Pousadas em São Cristóvão (Hotéis em São Cristóvão)

Alto da Colina São Cristóvão
Endereço: São Cristóvão – SE, 49100-000

Outras Opções Onde Ficar em São Cristóvão

Chácara Paraíso do Faisão
Endereço: 874, R. José de Silosa, 658, São Cristóvão – SE, 49100-000

Chácara PP
Endereço: Estr. p/ O Cristo, São Cristóvão – SE, 49100-000
Telefone: (79) 98852-8856